www.autonaweb.com.br
 
 

Palio Attractive

  • 16/12/13
Teste Palio Attractive: A última geração do campeão de vendas da Fiat é avaliado em sua versão de entrada.
Por Daniel di Giorgio

O Palio é um carro vencedor. Não importa o momento em que analisamos suas vendas, pois desde 1996, quando foi lençado, sempre esteve entre os mais vendidos do país. Desde 2004, uma versão de carroceria mais recente convive com a carroceria anterior, que funciona como carro de entrada da linha e reforça suas vendas. O Palio que vamos analisar aqui é a versão Attractive 1.0, versão de entrada da última geração do compacto da Fiat e que está no mercado desde 2011 (linha 2012). À venda há ainda a versão FIRE, baseada na carroceria lançada em 2004, uma vez que a carroceria de 2008 não foi muito bem recebida pelo mercado.

A evolução da carroceria está muito mais sensível que visível. Isso porquê visualmente a diferença é sim muito grande com relação ao Palio anterior, que nada mais era que uma reestilização do primeiro Palio, de 1996 e aí é onde mora a maior mudança, pois a nova plataforma, a mesma do novo Uno, é muito mais moderna. Assim, a Fiat deixa apenas para o Palio FIRE a desgastada plataforma de 1996. Entraremos no visual do carro com mais detalhes mais para o final do teste, mas só de olhar para o carro percebemos que a essência do Palio original está lá.

Os preços da versão Attractive (Dezembro-2013) vão de R$ 32.270,00 a R$ 41.150,00. A versão que avaliamos sai das lojas por R$ 36.999,00, pois inclui diversos opcionais como ar condicionado.


Attractive faz parte da nomenclatura da nova geração do Palio, que inclui Essence e R.

Escolhemos para o teste a versão de entrada do novo Palio pois ela será a responsável pelo maior volume de vendas da linha da nova geração, mas há ainda à disposição do consumidor o intermediário Essence, com melhor acabamento, opção de motor 1.4 e mais itens de série, e a topo da gama R, com motor 1.6 16V de 117cv e acabamento interno e externo esportivos.

 

Para acessar as próximas sessões deste teste, basta clicar na opção desejada no menu do topo da tela. Para voltar ao começo do site, clique no logo do site acima.

 
 
 

Fiat Palio Attractive

  • 16/12/13
Interior: Bem acabado e bem montado.

A versão ATTRACTIVE é a entrada para a linha Palio de nova geração, mas seu acabamento é satisfatório, bom para a categoria em que está inserido, a de compactos 1.0 acima dos compactos de entrada. Alguns parafusos aparentes, rebarbas e encaixes que poderiam ser melhorados de um lado (nada que salte aos olhos), bom revestimento geral de outro, incluindo porta-malas 100% forrado em carpete. No fim das contas, o acabamento do Palio fica ligeiramente acima da média dos concorrentes no geral, algo positivo para o modelo em um cenário de competição brutal pelo comprador.

Para dar um ar de requinte, o acabamento da parte central do painel é feito com o chamado "black piano" e há detalhes internos na cor prata fosco - pomo do câmbio, alavanca do freio de mão, maçanetas e aros das saídas de ar. Para tirar o ar de requinte, porém, o tampão do porta-malas é de plástico e não conta sequer com revestimento em carpete barato.

Além do bom revestimento, o carro conta com 4 apoios de cabeça e os encostos traseiros contam com 2 posições deferentes para caso seja necessário aumentar o espaço nos porta malas. Os dianteiros contam ainda com função anti mergulho, que segura o corpo dos ocupantes de forma mais intensa em caso de frenagens bruscas. Para acomodar objetos, há porta revistas atrás dos bancos dianteiros, porta objetos central e 3 porta copos, 2 dianteiros e 1 traseiro.

O painel de instrumentos é bem completo, incluindo conta-giros, computador de bordo, varredura de ponteiros ao virar a chave, relógio digital e alertas de limites de velocidade e de manutenção programada. Completam os itens de série de conforto espelhos no para-sol de motorista e passageiro, limpador traseiro com acionamento automático à ré, My Car Fiat (personaliza várias funções do carro), comando interno de abertura do porta-malas e da tampa do tanque de combustível, desembaçador do vidro traseiro temporizado, direção hidráulica, limpador e lavador dos vidros dianteiro e traseiro com intermitência e luz de leitura dianteira com interruptores nas portas dianteiras.


Maçaneta e a tampa do parafuso com rebarba: item fácil de ser corrigido pela Fiat.

O espaço interno, melhorou em todos os sentidos, ficando no nível de Gol, Ônix e Etios, é melhor que nos apertados HB20, 207 e March, mas fica um pouco atrás de Fiesta Rocam e Sandero, ambos curiosamente os carros de projetos mais antigos nessa categoria, juntos com o 207. O porta-malas está na média do segmento, com 280 litros. Curiosidade na categoria, o Etios é um projeto de 2010, apesar de sua aparência ser de um carro que surgiu antes do Fiesta Rocam, de 2002, ou do 207, que nada mais é que a reestilização de um carro de 1998. A toyota precisa rever muitas coisas nesse carro para ser competitiva no mercado de entrada, pois falha gravemente em pontos nos quais o Palio se dá muito bem.

As cores predominantes do interior procuram sempre combinar alguma coisa com a cor externa, revelendo cuidado da marca neste aspecto. Sempre foi assim na linha Palio, salvo exceções como o primeiro Palio ED laranja (lembra dele?), com seu interior mais claro, mas sem nada laranja, ou do saudoso cinza steel, que tinha interior predominantemente escuro.


Portas com bom acabamento, salvo algumas rebarbas nos pláticos.

O interior do Palio também é funcional e bem pensado. Os comandos estão todos ao alcance das mãos e são de leve manuseio. A iluminação do painel de instrumentos e dos comandos tem predomínio âmbar de efeito estético bom, mas que pode cansar depois de um tempo em uma viagem,por exemplo. O volante é bem desenhado, porém seu revestimento não proporciona aderência satisfatória das mãos.


Comandos leves e bem localizados.

A ergonomia do Palio é correta, com comandos à mão e fáceis de manusear. Os pedais estão em posição correta e houve um ganho reinvindicado há tempos na linha Palio: Os direcionadores do ar condicionado agora ficam localizados em posição que privilegia o correto direcionamento de ar. Antes, era localizado numa parte muito baixa do painel, herança que ficou restrita ao Palio Fire.


Direcionadores de ar finalmente em posição correta.

Avançando pelo interior, encontramos pequenas falhas de acabamento a serem corrigidas. Apesar do bom revestimento, as portas tem uma seção muito grande em plástico e a Fiat poderia repensar uma área maior de revestimento em tecido. Há também rebarbas em alguns locais, como mostra a foto do protetor de parafusos das maçanetas das portas acima. Já o porta-luvas do carro está bem localizado e tem bom aproveitamento de espaço, contando com a ajuda de vários porta-objetos, inclusive um no topo do painel.

 

Para acessar as próximas sessões deste teste, basta clicar na opção desejada no menu do topo da tela. Para voltar ao começo do site, clique no logo do site acima.

 
 
 


  • 16/12/13
Exterior: Desenho é atual mas não inova.

No desenho da nova geração do Palio, a Fiat claramente buscou inspiração no visual de seu outro compacto, vendido como "compacto premium", o Punto. Trata-se de um desenho que já tem anos de mercado e por isso não inova, mas é eficiente. No geral, agradou mais que desagradou. Em termos de contemporaneidade, não deve nada a Ônix, HB20, Gol e March e certamente está à frente de Fiesta Rocam, Etios, 207 e Sandero. Um desenho competente e competitivo, mas não é unanimidade, principalmente quando ouvíamos opiniões sobre a parte dianteira do carro.

A laterais apresentam portas com altura que denotam certa robutez fazem com eficiência o encontro com a traseira, que apresenta linhas atuais e elegante lanterna na coluna.

O acabamento externo não apresenta irregularidades ou encaixes tortos. As borrachas das portas são de boa qualidade e a batida de porta sólida é uma boa prova de que a Fiat acertou no acabamento externo da nova geração do Palio e tudo foi bem montado no modelo avaliado.


Linhas elegantes e atuais, mas que não inovam.

 

Para acessar as próximas sessões deste teste, basta clicar na opção desejada no menu do topo da tela. Para voltar ao começo do site, clique no logo do site acima.

 
 
 


  • 01/11/15
Desempenho e mecânica: Muito bem no teste até agora, aqui o Palio se complica um pouco.

A mecânica do Palio Attractive é bastante tradicional, com motor 1 litro, 4 cilindros em linha que rende 75 cv com álcool e 73 com gasolina, 9,9 kgfm de torque com álcool e 9,5 com gasolina, 5 marchas, flexível em combustível, freios dianteiros com disco sólido e traseiro com tambor, suspensão dianteira McPherson e traseira de eixo de torção. Tanto tradicionalismo preserva o consumidor fiel, mas tem muita gente indo atrás do moderno 1.0 3 cilindros da Hyundai/Kia (HB20/Picanto), Ford e VW logo devem apresentar suas novas gerações de motores ecônomicos e com bom desempenho e 3 cilindros e a Fiat precisa abrir os olhos, ainda mais observando os números obtidos pelo Palio 1.0 Attractive na pista de teste.

Vamos começar com aceleração e para essa tarefa, foram necessários longos 16,8 segundos abastecido com álcool e 17,3 quando abastecido com gasolina. Em uma condução normal isso não é relevante, mas são tempos cerca de 2 segundos acima de seus concorrentes diretos de motor 1.0, o que é muita diferença.

A aceleração até 1000 metros também não é boa, mas já insere o Palio num patamar mais próximo aos concorrentes diretos percentualmente falando. Essa distância é completada em 36,9s com álcool e 37,7s com gasolina. A Velocidade máxima declarada pela Fiat é de 157 km/h.

Vamos ver o que todos esses números representam na prática. Abastecido com álcool, obtivemos 14,2s na aceleração 0-100 km/h, contra 14,99s com gasolina. A aceleração 0-1000m é feita em 34,5s com álcool no tanque e 35,6s com gasolina. A velocidade máxima declarada pela VW é de 165 km/h, condizente com a cilindrada e equações do câmbio. Desempenho geral bom se considerarmos o pequeno motor do Up - trata-se de um popular 1.0.

No item consumo, o Palio 1.0 Attractive tenta redimir a decepção com o desempenho e consegue boas marcas. Em cidade, com ar ligado 20% a 25% do tempo e com trânsito de razoável para bom conseguimos 8,0 km/l com álcool e 10,2 km/l com gasolina. Na estrada, os números são 10,7 km/l com álcool e 14,1 km/l com gasolina.

O câmbio do Palio 1.0 é relativamente curto, como o bom senso para carros de motor pequeno sugere, além de fácil de manusear, mas o trambulador merece alguns ajustes para ficar mais preciso. O sistema de freios exige adaptação de quem vem de outro modelo, pois tem ação repentina. Explicaremos para quem nunca dirigiu um Palio: quando o pedal é pouco acionado, o freio praticamente não age, mas a certo ponto, a ação é repentina. É uma característica desde o primeiro Palio. Não é inseguro, nem de longe, mas exige adaptação, portanto, "sinta" o carro em seus primeiros quilômetros com ele. As frenagens são corretas, com pouca tendência ao travamento - nossa unidade não tinha ABS.

Quer fazer curvas arrojadas com seu Palio? Então compre a Versão Sporting, pra lá dos R$ 40 mil, pois este tem acerto para exagerar um pouco nas curvas. A proposta da versão Attractive é coerente com o comportamento mais calmo e suave de sua suspensão. Não se engane, o Palio Attractive é estável e rola muito menos a carroceria que a antiga geração, por exemplo, mas não abuse, pois o limite vem cedo
. Na próxima seção, confira como foram as notas do Palio Attractive em nosso teste.

 

Para acessar as próximas sessões deste teste, basta clicar na opção desejada no menu do topo da tela. Para voltar ao começo do site, clique no logo do site acima.

 
 
 


  • 16/12/13
Palio Attractive, vale a compra?

  • Notas

    Interior\Conforto: Nota 7,5

  • Prós:
     
  • - Boa ergonomia
    - Montagem das peças feitas de maneira correta
    - Boa escolha nos materiais de revestimento

  • Contras:
     
  • - Algumas rebarbas
    - Alguns parafusos aparentes
    - Tampão de plástico no porta malas

      Mecânica\Desempenho: Nota 5,5

    • Prós:
    • - Mecânica robusta
      - Consumo relativamente contido
       

    • Contras:
    • - Desempenho geral.
      - Freios que exigem certa adaptação.

        Exterior: Nota 7,0

      • Prós:
      • - Desenho atual
        - Qualidade de contrução

      • Contras:
      • - Desenho não inova

          Segurança: Nota 5,0

        • Prós:
        • - Aguarde janeiro de 2014 e air bag e ABS aparecerão. Por enquanto, oferece apenas o trivial, mas merece créditos por frear bem e ser estável no geral

        • Contras:
           ;
        • - Não tem os principais itens de segurança passiva, air bags e ABS. Fiat joga com regulamento embaixo do braço e os itens virão apenas a partir de janeiro de 2014.

            Resultado final: Nota 6,25

 

  • Resumindo

O Palio de nova geração, já não tanto uma novidade no mercado, tem atributos para marcar seu vasto território por um tempo, mas a Fiat precisa ficar atenta à concorrência. Como quase sempre acontece com o Palio, é um carro equilibrado, que não se destaca em nada perante aos concorrentes, mas também não decepciona brutalmente em nenhum item - o desempenho chegou perto disso e a Fiat precisa dar mais fôlego ao seu 1.0. Recomendamos compra de olhos fechados - mas quando fechar os olhos, lembre-se de que há outros bons concorrentes no mercado e que também devem ser considerados, principalmente enquanto o Palio não tem ABS e air bags de série. O mínimo que recomendamos é aguardar 2014 e comprar as unidades que virão com ABS e air bags de série.

Para acessar as sessões deste teste, basta clicar na opção desejada no menu do topo da tela. Para voltar ao começo do site, clique no logo do site acima.

 

AutoNaWeb 2007 / 2016 - por TrendLabs Tecnologia